Última hora

Última hora

Demissão do presidente Executivo da Porsche

Em leitura:

Demissão do presidente Executivo da Porsche

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente Executivo Wendelin Wiedeking vai deixar de conduzir o destino da Porsche. A construtora alemã anunciou as demissões, com efeito imediato, de Wiedeking e do director-financeiro Holger Härter.

O comunicado da empresa explica que foi alcançado um acordo com o Conselho Fiscal. O patrão mais bem pago da Alemanha vai receber uma indemnização de 50 milhões de euros. Uma soma polémica, até porque as dívidas do grupo rondam os 10 mil milhões de euros. A demissão dos dois dirigentes vai permitir, segundo o comunicado, a criação de um grupo automóvel integrado entre a Porsche e a Volkswagen. Ambos foram responsáveis pela estratégia de compra de um pacote de acções para adquirir a maioria do capital da Volkswagen. A Porsche obteve 51% do capital do maior construtor alemão, mas acumulou dívidas à banca e deve agora ser absorvida pelo consórcio de Wolfsburgo. Wendelin Wiedeking vai ser substituído pelo actual chefe de produção da Porsche, Michael Macht. A Porsche decidiu também um aumento de capital de pelo menos cinco mil milhões de euros, e a venda de participações ao fundo estatal do Emirado do Qatar.