Última hora

Última hora

Washington não reconhece Abcássia e Ossétia do sul como Estados independentes

Em leitura:

Washington não reconhece Abcássia e Ossétia do sul como Estados independentes

Tamanho do texto Aa Aa

Uma relação a três, é o que propõe a Casa Branca a Tbilissi e a Moscovo.

O vice-presidente norte-americano, Joe Biden, está na capital da Geórgia para garantir ao presidente Mikhail Saakashvili o apoio total de Washington ao país. Ao mesmo tempo, sublinha a relação retomada entre os Estados Unidos e a Rússia e deixa claro que uma coisa não interfere com a outra. Biden está na região para um périplo de apoio às antigas repúblicas soviéticas. Aos deputados, Biden afirmou de forma contundente que “os Estados Unidos estão com a Geórgia nesse caminho rumo à segurança, liberdade e democracia.” O vice-presidente norte-americano acrescentou que “Washington não vai reconhecer a Abcássia e a Ossétia do Sul como Estados independentes e vai pedir à comunidade internacional para fazer o mesmo.” Biden e Saakashvili encontraram-se para mais trocas de promessas, com o presidente georgiano a recordar que a escolha da Geórgia “é irreversível, que o país decidiu juntar-se ao mundo, à Europa e à NATO, apoiado pela população num referendo e que nada vai mudar o caminho tomado.” As tropas russas continuam estacionadas na Abcássia e Ossétia do Sul, desde que a guerra foi declarada em Agosto passado. Alguns militares do Kremlin estão apenas a uns 30 quilómetros de Tbilissi. Moscovo é das poucas capitais a reconhecer ambas regiões como Estados independentes. Entretanto, e durante a visita de Biden, Moscovo ameaçou com sanções aos países que vendam armas à Geórgia.