Última hora

Última hora

Comunidade internacional critica Manuel Zelaya

Em leitura:

Comunidade internacional critica Manuel Zelaya

Tamanho do texto Aa Aa

Apesar das indicações da comunidade internacional, Manuel Zelaya voltou a pisar solo hondurenho. O presidente deposto passou a pé a fronteira entre a Nicarágua e as Honduras. O Governo interino liderado por Roberto Micheletti prometeu prender Zelaya, caso este entrasse no país.

Mas poucos minutos depois, o chefe de estado deposto regressou à Nicarágua. Las Manos foi o local escolhido para a segunda tentativa de voltar ao país. Zelaya continua a exigir a presidência depois de ter sido derrubado por um golpe militar a 28 de Junho. Apesar dos Estados Unidos apoiarem o retorno do presidente deposto, Hillary Clinton considerou o gesto “imprudente”. “Apoiamos uma solução pacífica e negociada para crise nas Honduras. Pedimos a todos os partidos que evitem acções provocatórias que podem levar à violência. O acto do presidente Zelaya foi imprudente”, disse a secretária de Estados dos EUA. O chefe de estado da Costa Rica juntou-se ao coro de críticas. Para Oscar Arias, Zelaya não devia ter ido às Honduras, antes de se chegar a um acordo político: “Ainda bem que foi uma visita curta e que não teve consequências das quais podíamos arrepender-nos. Esta não é a melhor forma do povo hondurenho chegar à reconciliação. “ Um país dividido, onde uma solução nacional parece estar longe. Na capital hondurenha, Tegucigalpa, milhares de apoiantes de Roberto Michelletti responderam com manifestações à aventura fronteiriça de Zelaya.