Última hora

Última hora

Curdos iraquianos acorrem às urnas

Em leitura:

Curdos iraquianos acorrem às urnas

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de dois milhões e meio de curdos iraquianos elegem hoje um Presidente e um parlamento para a região autónoma. A União Patriótica do Curdistão, do presidente iraquiano Jalal Talibani e o Partido Democrático do Curdistão do actual presidente curdo Masoud Barzani, dominam a política de região há várias décadas e devem ser as forças vencedoras do escrutínio.

As eleições realizam-se numa altura marcada pela crispação entre o governo de Bagdade e a região autónoma a propósito de questões territoriais, que envolvem as chamadas zonas mistas, onde vivem curdos, turcos e turquemenos. O presidente curdo assegura que estas disputas podem ser resolvidas “através da Constituição”. Barzani refere-se especialmente à província de Kirkuk, uma zona rica em petróleo governada por Bagdade, que é vista pelos curdos iraquianos como uma parte integrante do seu território histórico. Outra das razões da discórdia é o petróleo. O Curdistão começou a exportar crude, mas Bagdade recusa que a província celebre quaisquer contratos sem o aval do governo central. Em Bagdade, os curdos também foram às urnas para escolher o próximo presidente do Curdistão iraquiano, eleito pela primeira vez por sufrágio universal.