Última hora

Última hora

Jornada mundial de protestos contra Teerão

Em leitura:

Jornada mundial de protestos contra Teerão

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 80 cidades em todo o mundo foram palco de protestos contra o regime iraniano este sábado.

Amesterdão foi uma das muitas capitais que aderiu à jornada global de acção, organizada por grupos como a Human Rights Watch ou a Amnistia Internacional. Cerca de 1000 pessoas responderam ao apelo na capital holandesa. Entre elas Shirin Ebadi, escritora iraniana vencedora do Nobel da paz em 2003. “Há muitos jovens no Irão que vivem em busca da democracia. Por isso é que eu vejo o futuro do Irão com optimismo”, afirmou a laureada. Estocolmo, Berlim, Paris e Nova Iorque foram algumas das cidades onde se ouviram protestos. Os participantes exigem às autoridades iranianas a libertação das muitas pessoas que contestaram a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad. “Estou mais preocupado com os que estão a ser presos agora do que quando eu fui preso. Quando estive na prisão, tinha acusações muito específicas.-os meus livros e artigos publicados. Mas agora o regime receia a revolução de veludo. Uma revolução cultural verbal. Eles são acusados de conspirarem para derrubar o regime, por isso estou preocupado com eles”, disse o escritor iraniano Akbar Gangi. As organizações defensoras dos direitos humanos dizem que centenas de pessoas, incluindo activistas reformistas, académicos, advogados e jornalistas, foram detidas em Teerão após a contestada eleição de 12 de Junho.