Última hora

Última hora

Receio de novas manifestações na Moldávia

Em leitura:

Receio de novas manifestações na Moldávia

Tamanho do texto Aa Aa

Aumentam os receios de novos episódios de violência na Moldávia onde decorrem as legislativas antecipadas.

Ao início da tarde não havia registo de qualquer incidente na ex- república soviética. Mas o antigo presidente do parlamento e actual líder do Partido Democrático admite a hipótese do país entrar numa guerra civil. As sondagens apontam para a vitória dos Comunistas liderados pelo actual chefe de Estado com 31% dos votos. “Creio que não precisamos de passar pelo mesmo tipo de cenário. Além disso, não me parece que a Moldávia volte a passar pela mesma situação, uma segunda vez” afirma Vladimir Voronin. Na corrida estão oito formações, que se podem dividir em dois grandes grupos: os comunistas pro-russos e os liberais. A aliança dos quatro partidos pró-europeus poderá, no entanto, ser suficiente para afastar o partido do poder já que juntos reúnem 33% das intenções de voto. Marian Lupu líder do PCMR diz ter uma única mensagem para o Presidente Voronin: “ é tempo dele partir.” 2,5 milhões de eleitores são hoje chamados às urnas. Ao início da tarde a taxa de participação rondava os 30%. A ex-república soviética procura pôr fim a uma crise política criada na sequência das eleições anteriores, altura em que a transparência do escrutínio foi posta em causa. As legislativas estão a ser acompanhadas por duas centenas de observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa. Há cerca de quatro meses, o Partido Comunista venceu as legislativas com cerca de 50% dos votos. Um resultado contestado com violência nas ruas do país.