Última hora

Última hora

A vida de Corazon Aquino

Em leitura:

A vida de Corazon Aquino

Tamanho do texto Aa Aa

Corazon Aquino foi a primeira mulher chefe de Estado na Ásia.

Entrou na política contra vontade, em Agosto de 1983, após a morte do marido, Benigno “Ninoy” Aquino, assassinado à chegada a Manila depois de um exílio de três anos. Antes tinha já assumido a chefia familiar quando em 1972 Ferdinando Marcos decreta a lei marcial e manda prender o principal opositor, “Ninoy Aquino, para o impedir de aceder à presidência. Em 1986 assume o poder apoiada por um movimento popular e por parte do exército filipino que rejeitaram a reeleição fraudulenta de Marcos. Retirou-se da presidência seis anos depois tendo resistido a, pelo menos, outras tantas tentativas de golpe de estado. Mas o apego às causas políticas não esmoreceu. Em 2001 ajudou a derrubar o Governo de Joseph Estrada, envolto em acusações de corrupção. Em 2005 voltava a erguer a voz exigindo a demissão de Macapagal Arroyo. Nascida em 1933 numa família de origem chinesa, na capital filipina, Corazon Cojuangco começou por ter uma educação religiosa. Mais tarde estudou matemática e francês em Nova Iorque. Mas é em Manila que completa a licenciatura em Direito, no mesmo ano em que se casou. Católica fervorosa, acabou por perder a batalha contra um cancro no cólon, aos 76 anos.