Última hora

Última hora

Adiado o novo julgamento do homicídio de Anna Politkovskaia

Em leitura:

Adiado o novo julgamento do homicídio de Anna Politkovskaia

Tamanho do texto Aa Aa

Começou e foi, de imediato, adiado o novo julgamento do homicídio da jornalista Anna Politkovskaia. Dentro de dois dias, o juiz do tribunal militar de Moscovo decide se reabre ou não a investigação, como pede a família da jornalista e a defesa dos três acusados.

A realização do novo julgamento foi ordenada pelo Supremo Tribunal, que anulou o processo em primeira instância, devido a erros. No primeiro julgamento foram absolvidos os três réus: dois irmãos chechenos, acusados de terem vigiado a jornalista, e um ex-chefe da polícia moscovita que terá tratado da parte logística do assassinato. Anna Politkovskaia foi morta à porta de casa em Outubro de 2006, quando preparava um artigo sobre torturas na Chechénia. Até hoje não se descobriu quem ordenou o assassinato e nunca foi detido o atirador. Politkovskaia faz parte da lista de 40 jornalistas mortos na Rússia nos últimos 16 anos. A maioria os crimes continua por resolver. Um clima de impunidade, denunciado por Dmitry Muradov, que considera que tal incentiva os assassinatos. Para o director do jornal Novaia Gazeta, os homicídios de jornalistas e activistas de direitos humanos devem ser tratados de forma especial, apesar das críticas, pois ambos protegem os direitos das pessoas assassinadas. Um dos últimos casos é o de Natalia Estemirova. A activista russa de direitos do homem foi assassinada em meados de Julho, depois de ter sido raptada na Chechénia, onde denunciava abusos e repressão contrariando a versão oficial de Moscovo.