Última hora

Última hora

A guerra dos cincos dias

Em leitura:

A guerra dos cincos dias

Tamanho do texto Aa Aa

Há um ano, o exército georgiano atacava a Ossétia do Sul.

O antigo território soviético tinha proclamado a independência em 1992, mas nunca chegou a ser reconhecida internacionalmente. Moscovo saiu em defesa da província separatista georgiana, naquela que viria a ficar conhecida como a guerra dos cinco dias. O apoio da Rússia à independência do enclave materializa-se com o envio de centenas de blindados e peças de artilharia. O conflito levaria, também, à secessão da região separatista da Abcásia. Os georgianos que até então viviam nas regiões separatistas são obrigados a regressar ao país de origem. Enquanto muitos ossetas se deslocam para a Rússia. Cerca de 200 mil pessoas ficam desalojadas. Um ano depois 30.000 georgianos continuam sem regressar a casa. A 12 de Agosto as duas partes acabaram por aceitar o cessar-fogo negociado pelo Presidente em exercício da União Europeia, Nicolas Sarkozy. No terreno encontram-se, ainda, hoje observadores da Organização para a Cooperação e Segurança na Europa.