Última hora

Última hora

Primeiro aniversário da guerra russo-georgiana sobre a Ossétia do Sul

Em leitura:

Primeiro aniversário da guerra russo-georgiana sobre a Ossétia do Sul

Tamanho do texto Aa Aa

A Geórgia e a Ossétia do Sul celebraram, cada um à sua maneira, o primeiro aniversário da guerra que conduziu à independência das regiões separatistas georgianas.

Na Geórgia, as celebrações começaram durante a noite com o acender de fogueiras. Uma estudante afirma que querem mostrar que estão a limpar a Geórgia da agressão russa. E acrescenta: “O fogo é o símbolo de purificação, da nossa unidade e este género de fogueiras serão acesas um pouco por todo o país”. Na noite de 7 de Agosto de 2008, a Geórgia atacou a Ossétia do Sul para retomar o controlo da região separatista pró-russa. Moscovo retaliou e venceu as tropas de Tbilissi, levando à independência quer da Ossétia do Sul quer da Abcásia. O conflito de cinco dias fez mais de 600 mortos russos, georgianos e ossetas e quase 200 mil desalojados. Trinta mil georgianos ainda não regressaram às suas casas. Zaira mora em Tskhinvalli, capital da Ossétia do Sul. Recorda o horror vivido e espera que não se repita. Afirma que após uma guerra é preciso chegar a um acordo, mas acusa os americanos de agressão e não os georgianos. Um ano depois a tensão é elevada. Rússia e Geórgia continuam com as agressões verbais e intensificaram-nas nos últimos dias, as tropas estão em alerta dos dois lados da fronteira e os observadores internacionais estão impedidos de trabalhar.