Última hora

Última hora

ADN confirma erro da polícia indonésia

Em leitura:

ADN confirma erro da polícia indonésia

Tamanho do texto Aa Aa

Foi nesta casa no centro de Java, que a polícia indonésia garantiu ter morto um dos homens mais procurados do país.

Noordin Mohammed Top acusado de ter planeado vários atentados foi dado como morto no fim de semana. Mas os testes de ADN vieram revelar que o islamita de origem malaia não é, afinal, o homem abatido. A vítima mortal foi indentificada como um florista que trabalhava num hotel em Jacarta. Em conferência de imprensa, um porta-voz da polícia indonésia admite o erro e afirma que o homem morto no fim de semana não é o islamita procurado pelas autoridades. Uma conclusão obtida após a divulgação dos resultados dos testes de ADN. O antigo tesoureiro de 40 anos terá abandonado a casa duas horas antes da polícia chegar. O militante islâmico é apontado como peça chave nos ataques levados a cabo na Indonésia entre 2002 e 2003. Do currículum de Noordin Mohammed Top fará, ainda, o duplo atentando em Jacarta no mês de Julho.