Última hora

Última hora

Contribuintes islandeses não querem pagar dívidas de privados

Em leitura:

Contribuintes islandeses não querem pagar dívidas de privados

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos três mil pessoas manifestaram-se frente ao parlamento da Islândia.

Isto porque a falência do banco em linha Icesave, que geria depósitos de mais de 300 mil britânicos e holandeses, levou Londres e Haia a desembolsarem quase quatro mil milhões de euros em compensações. Esse dinheiro tem de ser devolvido pelo Governo islandês no âmbito de um acordo com Londres e Haia, assinado em Junho, e que inclui juros anuais de 5,5 por cento. Uma soma que pode sair do bolso dos contribuintes. Um dos líderes da manifestação, o escritor Einar Gudmundsson, afirmou que este não é um problema entre Estados: “É um problema dos proprietários de um banco privado, mas o Governo quer passar o problema aos contribuintes e seus descendentes.” Outro manifestante indicou que está do lado dos deputados que têm de votar o plano que vai permitir ao Governo pagar a dívida, acrescentando que “a nação tem de se unir rejeitando o projecto, que é injusto”. O Icesave é uma filial do Landsbanki e foi nacionalizado em Outubro. Por isso a devolução do dinheiro tem de ser aprovada pelo parlamento. No entanto uma sondagem indica que quase 70 por cento dos 319 mil habitantes da Islândia estão contra. A concretizar-se, o plano vai custar a cada cidadão 12 mil euros e representa 40 por cento do produto interno bruto islandês.