Última hora

Última hora

Hamas continua à procura de milicianos escondidos

Em leitura:

Hamas continua à procura de milicianos escondidos

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de ter apelado para que todos os membros do grupo salafista se entreguem à polícia, o Hamas explicou por intermédio do porta-voz do Ministério do Interior que “a zona dos combates está sob controlo. Adoptámos medidas de segurança drásticas e estamos a patrulhar a zona para tentarmos encontrar milicianos escondidos. Lamentamos o número de vítimas e esperamos que este tipo de incidente não volte a acontecer.”

A presença em Gaza do grupo de al-Maqdisi, Jund Ansar Allah, que significa “os Guerreiros de Deus”, foi notada pela primeira vez há dois meses quando três dos seus membros foram mortos durante um ataque contra uma base israelita junto à fronteira. Saeb Erekat, recentemente eleito para o Comité Central do Fatah, considerou “extremamente alarmante e perigoso o que está a acontecer em Gaza. Estes combates que fizeram 22 mortos. A situação em Gaza está a ficar caótica, sem lei, e os que lideram pela força sabem que a força será sempre a maneira de comunicar.” Para além de al-Maqdisi, 15 islamitas foram mortos, um dos quais de nacionalidade síria, bem como seis polícias do Hamas. O movimento de resistência islâmica perdeu nos confrontos um dos seus principais chefes militares.