Última hora

Última hora

Mais de 70 emigrantes ilegais provavelmente mortos no Mediterrâneo

Em leitura:

Mais de 70 emigrantes ilegais provavelmente mortos no Mediterrâneo

Mais de 70 emigrantes ilegais provavelmente mortos no Mediterrâneo
Tamanho do texto Aa Aa

Cinco pessoas de nacionalidade eritreia foram resgatadas, esta quinta-feira, pela Guarda Costeira italiana à deriva entre Malta e a ilha transalpina de Lampedusa.

Os cinco emigrantes ilegais, entre os quais uma mulher e duas crianças, foram encontrados em estado grave e com sinais de desidratação. Os sobreviventes relataram que a aventura começou há 20 dias, quando um grupo de 80 pessoas partiu da costa líbia numa embarcação de borracha de 12 metros. Após esgotado o combustível ficaram à deriva. Sem mais reservas de comida e bebida, muitos morreram por beber água salgada. Os corpos foram atirados ao mar. Laura Boldrini, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados condena a atitude das pessoas que encontraram os náufragos mas não lhes prestaram apoio. “Infringiram a lei internacional de direito do mar”, afirma Boldrini, acrescentando que “por medo ou indiferença desconsideraram completamente o valor destas pessoas” concluiu. Recentemente, a Itália converteu em crime punível com cadeia e multa a tentativa ilegal de entrada no país. Ainda assim a mudança legislativa não parece ter diminuído o número de pessoas que arrisca a vida na procura de uma oportunidade na Europa.