Última hora

Última hora

Al-Megrahi festeja a liberdade

Em leitura:

Al-Megrahi festeja a liberdade

Tamanho do texto Aa Aa

Os media líbios dão conta este sábado da grande festa em casa do ex-espião condenado pelo atentado de Lockerbie, que foi ontem libertado.

Um gesto de compaixão do governo escocês crtiticado pela Casa Branca. Al-Megrahi que sofre de um cancro da próstata em fase terminal foi ontem recebido pelo chefe de Estado líbio. Mouammar Kadhafi agradeceu às autoridades escocesas por terem tido “a coragem de tomar uma decisão independente” norteada por “razões humanitárias” apesar de todas as “pressões inaceitáveis”. O líder líbio lembrou a libertação em 2007 das cinco enfermeiras búlgaras presas em Tripoli por alegadamente terem infectado quatrocentas crianças com o vírus HIV. As imagens de Al-Megrahi a ser recebido como um herói no aeroporto de Tripoli indignaram a comunidade internacional. Por seu turno, o filho de Kadahfi revelou, esta sexta-feira, que a libertação do ex-agente líbio, serviu interesses comerciais e diplomáticos britânicos. Segundo Seif Al-Islam, as negociações faziam-se a cada visita à Líbia do ex-primeiro ministro britânico Tony Blair. Londres desmente as declarações defendendo a soberania escocesa, na decisão pela libertação. Al-Megrahi foi condenado à prisão perpétua em 2001 pelo atentado contra o Boeing 747 da PanAm, que explodiu, em 1988, sobre a localidade escocesa de Lockerbie, vitimando 270 pessoas.