Última hora

Última hora

Clã Kennedy

Em leitura:

Clã Kennedy

Tamanho do texto Aa Aa

O mito vem dos anos 20 com a tribo de nove filhos de Joseph e Rose Kennedy, todos eles nascidos entre 1915 e 1932.

Em 1961 o clã entrou para a história . John Fitzgerald Kennedy, o segundo filho tornou-se presidente dos Estados Unidos, aos 43 anos. A beleza, a juventude, o carisma e as idéias novas levaram os ventos da mudança para a Casa Branca. A mulher, Jacky, e os filhos conquistaram o coração dos norte-americanos. Mas no dia 22 de Novembro de 1963, JFK foi assassinado em Dallas. A onda de choque passou muito além das fronteiras do país. A multidão chorosa e as imagens dos pequenos John John e Caroline no funeral ficam gravadas na memória de todos. O clã Kennedy vivia mais um drama… Ted ficou na primeira fila. Adam Clymer, biógrafo de Ted Kennedy: “Edward sentia-se muito próximo deles. Primeiro de JFK, que era também padrinho dele. Estava sentado numa cadeira, a presidir ao senado quando soube o que se passava em Dallas, o que o deixou de rastos.” Edward, conhecido por Ted, era o mais novo da família. Tinha quatro irmãos, o mais velho dos quais, morto na guerra, em 1944. Daí a ligação tão forte entre John, Robert e Ted. Quando John foi assassinado, Ted tinha apenas 31 anos. E quando Robert se candidatou às presidenciais, Ted temeu o pior. Clymer: “Estava preocupado com a candidatura porque temia outro assassínio. E então, quando Robert foi baleado mortalmente, ele entrou em depressão. É o modo mais fácil de descrever. Precisou de varios meses para poder regressar ao Senado.” Regressou e prosseguir a obra familiar foi mesmo uma questão de honra. Em 1972 fez campanha para a investidura democrática mas um acidente, em que morreu a secretária colocou um ponto final nas aspirações de chegar ao topo. Dos nove filhos de Rose e Joe, apenas uma está viva. Eunice Kennedy Shriver, autêntica madrinah das Olimpíadas Especiais, morreu apenas há uma semana. “É o fim da era Kennedy. Não considero que haja qualquer razão para pensar que é o fim da era do partido democrático com os valores que ele defendeu.Mas sim, é o fim de uma era”. O fim de uma dinastia marcada por sucessos e tragédias. No entanto ainda há uma herdeira legítima que não esconde alguma ambição política: Caroline, a filha do presidente Kennedy.