Última hora

Última hora

Não há consenso na venda da Opel

Em leitura:

Não há consenso na venda da Opel

Tamanho do texto Aa Aa

Governo, General Motors e sindicatos não estão de acordo.

A americana GM pondera não vender a construtora alemã e pode optar por um plano de financiamento de três mil milhões de euros com a venda ou hipoteca de activos na China. Ficaria sem efeito o acordo com a Magna o que incomoda a Alemanha. Frank-Walter Steinmeier, ministro dos negócios estrangeiros, explica que preferem o conceito da Magna porque garante a preservação de Kaiserslautern, Bochum, Eisenach e Ruesselsheim. Os trabalhadores não falam desta opção mas não estão satisfeitos. O responsável pelos sindicatos na Opel afirma que não conhecem os planos da General Motors e que aquilo que sabem passa pelo encerramento de Eisenach e Bochum, por isso, não há acordo com os trabalhadores nem na Alemanha nem na Europa. A seis semanas das eleições Angela Merkel fará o possível para desbloquear as negociações de forma favorável aos interesses alemães mas não vai ser fácil. A GM inclina-se para a proposta da belga RHJ International, que lhe permitiria, quando saneadas as contas, readquirir a Opel. Esta operação implica a deslocação da construtora para fora da Alemanha. As divergências de interesses entre o governo alemão e a GM são claras, resta saber se Merkel vai vencer este impasse.