Última hora

Última hora

Pacto Molotov-Ribbentrop: os meandros do segredo

Em leitura:

Pacto Molotov-Ribbentrop: os meandros do segredo

Tamanho do texto Aa Aa

1 de Setembro de 1939, às 4h45 da madrugada, o navio de guerra alemão, Schleswig-Holstein bombardeia o contingente polaco Westerplatte. A Alemanha nazi começa a invasão da Polónia sem fazer qualquer declaração de guerra. A história grava esta nova agressão de Adolf Hitler como a que desencadeia definitivamente a II Guerra Mundial- O futuro da Polónia tinha sido decidido umas semanas antes.

A 23 de Agosto de 1939, a Alemanha nazi e a União Soviética assinavam um tratado de não agressão (nos anos 30, a Alemanha era o principal parceiro económico da URSS). O Pacto Molotov-Ribbentrop (nomes dos chefes da diplomacia dos dois países) é um acordo económico mas também de repartição das esferas de influência dos dois signatários na Europa de Leste. A 17 Setembro de 1939 é o Exército Vermelho que invade a parte oriental da Polónia. Segundo um dos protocolos do Tratado, as duas partes, alemã e soviética, ficam obrigadas a reprimir todas as tentativas de resistência polaca nas zonas de ocupação. Os excessos de ambas as partes estiveram no segredo durante muito tempo. O massacre de Katyn, para aniquilar a elite polaca, continua a ser um exemplo da manipulação da história. Mais de 20 mil oficiais na reserva polaca são exterminados em 1940 pelos serviços secretos de Estaline. Descoberto em 1943 pelos nazis, o crime é encoberto pelos soviéticos, que continuam a atribuir a autoria aos antigos parceiros alemães até 1989. Só Gorbachov admite a responsabilidade de Moscovo. Varsóvia continua à espera da reabilitação dos oficiais massacrados. Em 2004, a conclusão do inquérito russo sobre Katyin ainda é classificada top secret. Vyacheslav Nikonov, neto de Vyacheslav Molotov, afirma que o avô sempre defendeu o pacto germano-soviético: “Ele era absolutamente contra retaliações. Admitia que a liderança soviética tinha feito muitos erros, erros que custaram muitas vidas. Mas Molotov nunca considerou que Molotov-Ribbentrop fosse algo de lamentável.” O pacto Molotov-Ribbentrop tem como consequência a anexação dos países bálticos à União Soviética, em 1940. A Lituânia, a Letónia e a Estónia, só obtêm a paz meio século depois.