Última hora

Última hora

Cinema: "Amreeka"

Em leitura:

Cinema: "Amreeka"

Tamanho do texto Aa Aa

“Ameereka” relata a história de Muna, uma mãe solteira que deixa a Cisjordânia na companhia do filho de 16 anos com sonhos de um futuro risonho na terra prometida de uma pequena cidade do Illinois, nos Estados Unidos.

Um sonho tornado pesadelo, como aconteceu na realidade para muitas famílias árabes na América, a partir da guerra do Golfo. Crerien Dabis, realizadora e argumentista: “Muitas das coisas que acontecem no filme, aconteceram de alguma forma na vida real. O meu pai, que é médico, perdeu muitos pacientes, as pessoas não queriam um médico árabe. Recebemos durante um tempo ameaças de morte diárias. Os serviços secretos foram à minha escola investigar alegações de que a minha irmã tinha ameaçado matar o presidente”. O filme retrata a história universal das famílias de imigrantes e dos seus filhos adolescentes, perdidos entre as heranças culturais e os desafios do novo mundo onde inevitavelmente também se sentem deslocados. Nisreen Faour, actriz: “É a minha forma de dar a conhecer a nossa nação, a nossa história enquanto palestinianos. A situação lá está muito má. Vivemos todos sob pressão. É como se a vida tivesse parado sem que se veja um fim à vista. Penso que o nosso papel enquanto artistas é de contar às pessoas o que está a acontecer. Duma forma humanista, porque não precisamos de andar com armas. Eu acredito nisso”. “Amreeka” estreou-se no Festival de Sundance e conquistou o prémio da crítica internacional em Cannes.