Última hora

Última hora

Flagelo das algas na Bretanha pode ter causado uma morte

Em leitura:

Flagelo das algas na Bretanha pode ter causado uma morte

Tamanho do texto Aa Aa

O flagelo das algas na Bretanha fez a primeira vítima mortal. É a suspeita de vários grupos ambientalistas que apresentaram queixa contra o prefeito da Costa de Armor.

O caso remonta ao final de Julho com a morte de um trabalhador que recolhia algas na praia. Na altura, falou-se em ataque cardíaco mas hoje há cada vez mais provas de que o manto de algas verdes em decomposição que se acumula no areal liberta gases tóxicos e pode ser mortal. Pouco dias depois, um cavalo morreu e o cavaleiro perdeu os sentidos na praia de Saint Michel-en-Grêve. Andre Ollivro, responsável de uma associação ambientalista, acusou as autoridades de “só agirem quando acontece uma catástrofe”. Um relatório científico encomendado pelo governo francês explica que as algas verdes em decomposição libertam ácido sulfídrico, um gás que ataca o sistema nervoso. A acumulação de algas está ligada à poluição causada pelos nitratos de origem agrícola e pecuária. Um investigador francês explicou que “o gás é como um veneno que ao ser inspirado age sobre as células e impede a utilização do oxigénio”. As associações ambientalistas responsabilizam as autoridades locais pela morte do trabalhador por autorizarem a extensão de práticas agrícolas intensivas.