Última hora

Última hora

Uma reforma sem sentido para os condutores de Samoa

Em leitura:

Uma reforma sem sentido para os condutores de Samoa

Uma reforma sem sentido para os condutores de Samoa
Tamanho do texto Aa Aa

Os automobilistas de Samoa tentam desde hoje adaptar-se à mais radical reforma do código de estrada dos últimos cem anos.

O governo decidiu inverter o sentido do trânsito em toda a ilha do pacífico Sul, da direita para a esquerda, para poder importar carros mais baratos da Austrália e Nova Zelândia. Criticado pela população, o primeiro-ministro, Tuilaepa Sailele Malielegaoi, defende a ideia, “eu conduzi há pouco tempo no centro de Londres, com um trânsito infernal, e em menos de três minutos já me tinha habituado a guiar pela esquerda”. Argumentos que não convencem a população que desde há vários dias se ataca à sinalização nas estradas e auto-estradas. Face às críticas, o governo foi mesmo obrigado a declarar dois dias de feriado nacional para dar mais tempo à população para adaptar-se às novas regras. A porta-voz do colectivo contra a medida afirma que a mudança, “não é coerente, não foram dadas explicações lógicas e os argumentos económicos não têm peso quando estão em risco vidas humanas”. Entre as vozes mais críticas encontram-se os utentes dos transportes públicos, uma vez que os veículos não foram adaptados ao novo sentido do trânsito. Perdidos e confundidos, os habitantes de Samoa tentam ainda perceber o sentido da mudança, esperando que não seja acidental.