Última hora

Última hora

Alterações climáticas: Probabilidades de fracasso de Copenhaga são reais

Em leitura:

Alterações climáticas: Probabilidades de fracasso de Copenhaga são reais

Tamanho do texto Aa Aa

A três meses da cimeira de Copenhaga sobre as alterações climáticas, a capital dinamarquesa acolheu uma reunião preparatória sobre o tema que contou com a participação dos ministros dos Negócios Estrangeiros dinamarquês, sueco, finlandês, francês e britânico.

À chegada o chefe da diplomacia do Reino Unido alertou para os riscos de um fracasso da cimeira de Dezembro. “Acho que estamos todos aqui para lançarmos um alerta sobre as reais probabilidades de não conseguirmos chegar a um acordo em Copenhaga, a não ser que acha um novo impulso político.” Reunidos graças à iniciativa do governo dinamarquês, os cinco ministros lançaram, através de uma missiva, um apelo para que a comunidade internacional se mobilize para chegar a um acordo viável sobre as alterações climáticas. Para o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Bernard Kouchner, “lutar contra as consequências das alterações climáticas é uma questão de desenvolvimento.” E precisamente porque se fala de desenvolvimento a Comissão Europeia propôs, esta quinta-feira, uma ajuda ambiental que pode ir de dois até aos 15 mil milhões de euros anuais para que os países em desenvolvimento se tornem mais ecológicos. Uma proposta para impulsionar as negociações de Copenhaga entre 07 e 18 de Dezembro, para se chegar a um acordo pós-Quioto, sob a égide das Nações Unidas.