Última hora

Última hora

Barroso reeleito mas com que equipa executiva

Em leitura:

Barroso reeleito mas com que equipa executiva

Tamanho do texto Aa Aa

Mesmo quem não vota em Durão Barroso reconhece que são grandes as probabilidades do presidente da Comissão Europeia ser reeleito para um segundo mandato de cinco anos.

A questão que agora se coloca é: mas com que equipa executiva? Uma das baixas garantidas na equipa de Durão Barroso é Dalia Grybauskaitė. A ex-comissária europeia para o Planeamento Financeiro e Orçamento foi eleita presidente da república da Lituânia nas eleições de 17 de Maio. A polaca Danuta Hubner foi eleita deputada europeia e trocou a Comissão pelo Parlamento. O eurodeputado polaco do PPE Janusz Lewandowski foi o escolhido pelo primeiro-ministro Donald Tusk para substituir Hubner. Quem também foi eleito nas europeias de Junho para o Parlamento Europeu foi o ex-comissário belga para o Desenvolvimento e Ajuda Humanitária. Louis Michel explica que “a democracia no Parlamento Europeu vive-se de forma mais completa do que nos parlamentos nacionais. A Comissão é um bocado diferente. O problema da Comissão é muito simples. Para um comissário é um combate permanente contra a burocracia, contra as regras, contra os procedimentos e por isso temos a impressão que todo o sistema foi criado de maneira a neutralizar o trabalho político dos comissários.” Quanto a Benita Ferrero-Waldner, a até aqui comissária austríaca para as Relações Externas e Política Europeia de Vizinhança já começou a fazer “campanha” para a liderança da UNESCO. Ferrero-Waldner explique que “se for escolhida directora-geral da UNESCO vou dar-lhe um perfil mais político e vou tentar torná-la mais visível.” Outra baixa confirmada na Comissão Barroso II é Margot Wallstrom, a comissária sueca das Relações Institucionais e Estratégia de Comunicação e vice-presidente da Comissão Europeia.