Última hora

Última hora

Ajudas de Berlim à Opel criam polémica na Europa

Em leitura:

Ajudas de Berlim à Opel criam polémica na Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Aumenta a polémica em torno da venda da Opel. A ajuda de 4,5 mil milhões de euros do governo alemão ao construtor automóvel provocou uma autêntica vaga de protestos de vários países europeus.

Londres pediu à Comissão Europeia que se assegure de que a venda da Opel não favoreça os trabalhadores das fábricas alemãs em detrimento das unidades fabris de outros países. Esta segunda-feira, depois de uma reunião com executivo europeu, o primeiro-ministro do governo flamengo, Kris Peeters, referiu que “é muito importante que este dossiê seja um dossiê económico e comercial e não político. Nós estamos convencidos que Antuérpia tem que ter uma oportunidade justa e quando houver uma análise económica da situação, estamos convencidos de que Antuérpia é melhor do que muitas fábricas alemãs.” Depois de ter advertido a Alemanha sobre os incentivos financeiros atribuídos à Opel, a Comissão Europeia, por intermédio do seu porta-voz, referiu que “vai estar particularmente atenta para que não haja condições ligadas à ajuda, por exemplo, no que diz respeito às fábricas que vão fechar ou aos investimentos que vão ser feitos.” Esta segunda-feira, o grupo Magna anunciou que deverá suprimir 10.500 postos de trabalho no quadro de restruturação da Opel, 4000 dos quais na Alemanha. A polémica sobe de tom depois da revista alemã Der Spiegel ter divulgado que a Comissão Europeia descobriu que a fábrica de Antuérpia, na Bélgica, é mais eficaz do que a de Bochum, na Alemanha.