Última hora

Última hora

Recondução histórica de coligação no poder na Noruegua

Em leitura:

Recondução histórica de coligação no poder na Noruegua

Tamanho do texto Aa Aa

O centro-esquerda, liderado pelo Partido Trabalhista de Jens Stoltenberg, venceu as legislativas na Noruega, de acordo com as sondagens à boca das urnas, com uma margem mínima.

O Partido Trabalhista do actual primeiro-ministro e seus dois aliados, o Partido Centrista e a Esquerda Socialista, poderão ter obtido 87 dos 169 assentos no parlamento, numa altura em que menos de vinte por cento dos votos estão por contar. A oposição, formada pelo Partido Progressista, Partido Conservador, Partido Democrata-Cristão e Partido Liberal, deverá obter 82 deputados, embora os resultados não sejam definitivos. O Partido Progressista de Svi Jensen foi a segunda força mais votada, seguida dos Conservadores de Erna Solberg. Jensen, considerada uma populista, ainda não perdeu a esperança de vir a poder negociar uma coligação para governar. Erna Solberg, líder do Partido Conservador, mantém a mesma esperança. O centro-esquerda baseou a campanha no Estado-Providência e políticas sociais, em especial na área da saúde destinada aos idosos, e na falta de creches. A oposição apostou no debate em torno da redução dos impostos. Mais de 3,5 milhões de eleitores votaram nas que foram consideradas as mais renhidas legislativas do país e a taxa de participação eleitoral deve ter rondado os 80 por cento. Desde os anos sessenta que nenhum partido político obtém uma maioria absoluta nas legislativas e nenhuma coligação no poder é reconduzida.