Última hora

Última hora

Agnès Varda apresenta o seu mais recente trabalho

Em leitura:

Agnès Varda apresenta o seu mais recente trabalho

Tamanho do texto Aa Aa

Contemporânea de François Truffaut e de Jean-Luc Godard, a francesa Agnès Varda, com mais de 80 anos, é uma realizadora, fotógrafa e artista plástica sem tempo a perder.

Varda é conhecida por diluir, na sua obra, a ficção com o documentário. E foi isso que apresentou na Bienal de Arte Contemporânea de Lyon. À euronews, afirmou que é “uma velha realizadora transformada em artista plástica.” Natural de Bruxelas mas residente em Paris, Varda apresentou ma bienal “As Cabanas de Agnes”, num misto de poesia e provocação, já que misturou curtas com imagens de praias parasidíacas e de desastres naturais. “É mais uma contemplação, ideias, pensamentos, impressões-, não existe uma história, nada, não se pode apresentar nos teatros. É parte de uma linguagem de cinema que não pertence aos teatros. As pessoas pagam 10 euros para ver um filme. Aqui, nesta instalação, neste museu, as pessoas pagam para entrar no museu e não para ver a minha instalação.”, justificou a artista. Agnès Varda começou a sua carreira em 54 com o filme “La pointe-curte”. Um dos pilares da Nouvelle Vague, participou como actriz em longas metragens dos mestres Truffaut e Godard. Mas apesar da longa carreira, a artista não pára de se renovar. “Adoro a ideia de trabalhar em três dimensões. Nesta exposição construí uma casa, imaginei-a e por isso a construí. As paredes e o tecto são feitos de filmes, de película. Parece que estamos a sonhar acordados, e esta é a minha casa. Como adoro o cinema, não podia construir a casa de outra forma.”, acrescentou.