Última hora

Última hora

Cinema austríaco e israelita em destaque

Em leitura:

Cinema austríaco e israelita em destaque

Tamanho do texto Aa Aa

São ajudados pelo divino aqueles que têm mais fé? Por que é que algumas pessoas se curam de forma miraculosa e outras não?

O filme “Lourdes”, da realizadora austríaca Jessica Hausner, propõe explorar este tema através da peregrinação de Christine, uma jovem confinada a uma cadeira de rodas desde que nasceu, à cidade francesa de Lourdes. Um dia, a jovem acorda e começa a andar. A história torna-se numa sensação, mas a ocorrência de outros casos semelhantes não é reportada porque o dito milagre não dura muito tempo. Para Jessica Hausner, “o que me pareceu interessante em relação ao fenómeno do milagre é a sua ambivalência. Não é por uma pessoa rezar muito ou ser muito boa que o milagre acontece e a pessoa que é curada desta forma pode sê-lo de forma temporária. É uma questão de sorte.” Premiado no Festival de Cinema de Veneza e apresentado no Festival de Toronto, “Lourdes” vai estar disponível no circuito internacional de distribuição em breve. Também sobre religiao, o filme “Eyes Wide open” do realizador israelita Haim Tabakman conta a história de um amor homosexual entre dois judeus ortodoxos em Jerusalém. Um é talhante, muito respeitado na comunidade, casado e com quatro filhos e o outro, um estudante de 22 anos com um passado obscuro. O actor Zoher Strauss, que representa um dos homosexuais, afirma que “para estas duas personagens nada é mais importante do que o amor a Deus, por isso estão encurraladas entre os dois sentimentos – o desejo e a religião. Estão mesmo encurralados.” “Eyes Wide Open” estreou-se no Festival de Cannes e foi projectado no Festival de Toronto. A sua distribuição internacional começou este mês.