Última hora

Última hora

NATO propõe à Rússia cooperação na defesa antimíssil

Em leitura:

NATO propõe à Rússia cooperação na defesa antimíssil

Tamanho do texto Aa Aa

O grande foco de tensão entre a Rússia e os Estados unidos foi destruído e agora a trajectória já não é colisão. Os dois países e a NATO dão sinais de desanuviamento diplomático. Em Bruxelas, o secretário-geral da Aliança Atlântica sugeriu a Moscovo a combinação dos sistemas de defesa antimíssil dos dois blocos para enfrentar as verdadeiras ameaças à estabilidade internacional.

Anders Fogh Rasmussen, declarou que “a cooperação não é uma questão de escolha. É uma questão de necessidade. Tanto a NATO como a Rússia têm uma boa experiência em misseis de defesa. Agora devemos trabalhar para combinar esta experiência em proveito mutuo”, sugeriu. O Kremlin considerou o discurso positivo. Depois de Washington ter abandonado o projecto de instalar um radar e mísseis interceptores na República Checa e na Polónia, Moscovo respondeu. Anunciou ter cancelado a mobilização de mísseis Iskander para o enclave de Kaliningrado e acrescentou que muitas outras medidas de resposta ao projecto americano serão anuladas. A mudança de posição dos Estados Unidos foi justificada com a reavaliação militar dos países que constituem uma ameaça. No entanto, o grande efeito desta alteração será mesmo em termos diplomáticos, ou seja, ter a Rússia como aliada para impedir que o Irão se dote de armamento nuclear.