Última hora

Última hora

Arsenais nucleares: Estados Unidos e Rússia dão exemplo

Em leitura:

Arsenais nucleares: Estados Unidos e Rússia dão exemplo

Tamanho do texto Aa Aa

A resolução do Conselho de Segurança da ONU para eliminar as armas nucleraes em todo o mundo foi aprovada por unanimidade.

O compromissao assumido visa impedir a proliferação nuclear e promover o desarmamento. Durante o encontro, Barack Obama alertou para a necessidade de travar o aumento da capacidade nuclear com novas estratégias e apelou à colaboração dos líderes mundiais. “O mundo deve premanecer unido, devemos mostrar que a lei internacional não é uma promessa vã e que os tratados vão ser reforçados. Os próximos 12 meses vão ser essenciais para determinar se esta resolução e os nossos esforços vão ser bem sucedidos” afirma o Presidente norte-americano. Washington e Moscovo querem dar o exemplo e anunciaram que pretendem reduzir os arsenais nucleares. Estima-se que os Estados Unidos tenham cerca de 5000 ogivas armazenadas e 3000 operacionais. A totalidade exacta do arsenal russo é desconhecida. Os últimos dados apontam para 14 mil armas nucleares. Dimitri Medvedev refere que a Rússia e os Estados Unidos já reduziram os arsenais nucleares noutras ocasiões. “Dissemos já várias vezes e agora confirmamos a nossa vontade de continuar a reduzir a capacidade nuclear de vectores estratégicos. A proposta está na mesa das negociações bilaterais com os nossos parceiros americanos.” O Tratado de Redução das Armas Estratégicas está a ser renegociado com Washington. A obtenção de um acordo é essencial já que o prazo de validade do START I termina em Dezembro. O programa nuclear iraniano, que prometia dominar o encontro acabou relegado para um plano secundário.