Última hora

Última hora

A homenagem de Bento XVI à "revolução de veludo" em Praga

Em leitura:

A homenagem de Bento XVI à "revolução de veludo" em Praga

Tamanho do texto Aa Aa

O papa Bento XVI iniciou ontem uma visita de três dias à República Checa destinada a reavivar a fé cristã num país onde o número de crentes se encontra em queda há vários anos.

Uma operação de charme marcada também pelo vigésimo aniversário da queda do muro de Berlim e da revolução de veludo que pôs fim ao regime comunista no país. Num discurso à chegada à Praga, o sucessor de João Paulo II felicitou todos os países do centro e do Leste da Europa, “que se libertaram dos regimes opressivos”. O sumo pontífice foi recebido ontem no Castelo de Praga pelo antigo presidente e dissidente anti-comunista Vaclav Havel e pelo presidente checo Vacklav Klaus. Uma imagem de harmonia perturbada pelas tensões que subsistem entre o Vaticano e a República Checa. Duas décadas depois da revolução de veludo, a Igreja Católica continua a reclamar os bens confiscados pelo regime comunista, uma decisão que Praga voltou a adiar justificando-se com a actual crise económica.