Última hora

Última hora

Ban Ki-Moon condena repressão na Guiné-Conacri

Em leitura:

Ban Ki-Moon condena repressão na Guiné-Conacri

Tamanho do texto Aa Aa

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, condena a onda de violência na Guiné-Conacri, numa altura em que várias ONG’s apelam a uma resposta firme por parte da comunidade internacional.

Ontem, as forças de segurança dispersaram a tiro os opositores da junta militar, no poder, durante uma manifestação não autorizada e que provocou a morte a pelo menos 128 pessoas. Um manifestante pede ao chefe da junta que parta, adiantando, que em causa não está a sua candidatura. O capitão deve partir, afirma, e “não vamos desistir até conseguirmos afastá-lo.” Um outro refere que é necessário conquistar a liberdade e que a democracia deve vigorar, acrescentando, que o país vai continuar mobilizado. Reunidos no maior estádio da capital, os manifestantes sairam à rua para protestar contra a eventual candidatura do chefe do regime às eleições presidenciais previstas para Janeiro. Trata-se da primeira repressão sangrenta no país desde que a junta militar assumiu o poder em 2008. A onda de violência ocorre numa altura em que a comunidade internacional pressiona o chefe dos golpistas para que respeite o compromisso de não se candidatar às presidenciais e de deixar o poder aos civis.