Última hora

Última hora

Adiamento da votação do relatório Goldstone revolta palestinianos

Em leitura:

Adiamento da votação do relatório Goldstone revolta palestinianos

Tamanho do texto Aa Aa

Em Ramallah, manifestantes palestinianos mostraram o seu desagrado contra o líder da Autoridade Palestiniana atirando sapatos à sua imagem.

Em causa está a decisão de Abbas adiar a votação do relatório Goldstone no Conselho dos Direitos Humanos, nas Nações Unidas. O documento que trata os crimes de guerra cometidos na faixa de Gaza durante o conflito que opôs israelitas e palestinianos, entre Dezembro de 2008 e Janeiro de 2009. Um habitante de Ramallah deu voz ao seu descontentamento: “Alguém como o Mahmoud Abbas que abandonou a causa merece esta reacção e ainda mais. Ele já vendeu o país uma vez. Ele é um mau Presidente”, diz. O povo palestiniano acredita que a decisão do líder da ANP é uma traição à causa nacional. O juiz Richard Goldstone é o responsável pela elaboração do relatório com perto de 600 páginas, onde estão as conclusões da investigação a 36 incidentes ocorridos durante a ofensiva. Israel e o movimento radical Hamas repartem responsabilidades. Segundo o mesmo, durante a operação morreram 1.400 civis palestinianos, três civis e 10 soldados israelitas. Goldstone recomenda ainda ao Conselho de Segurança que obrigue o Estado israelita e as autoridades de Gaza a darem informações, caso isso não aconteça no prazo de seis meses, exorta a que a investigação seja transferida para o Tribunal Penal Internacional.