Última hora

Última hora

ECHO: A ajuda humanitária da UE

Em leitura:

ECHO: A ajuda humanitária da UE

Tamanho do texto Aa Aa

Nos últimos 30 anos, o número de tsunamis, sismos, ciclones, inundações e aluimentos de terras quase triplicou. Só em 2007 registaram-se quase 3500 desastres naturais no mundo. Qual a resposta da União Europeia para estes casos?

A solidariedade europeia expressa-se através do ECHO. Desde 1996, o Serviço de Ajuda Humanitária da União Europeia forneceu ajuda de emergência a vítimas de desastres naturais ou conflitos armados. Actualmente, ajuda a população do Vietname vítima do furacão Ketsana. David Verboom, responsável do serviço em Da Nang, no centro do país, explica: “O governo informou-nos que 60 mil casas foram completamente destruídas e 300 mil foram atingidas parcialmente. Um milhão de pessoas foram afectadas. A Comissão Europeia reagiu imediatamente, com apoio a organizações humanitárias que já trabalham no Vietname. Elas estão a reconstruir casas, a fornecer abrigos e comida, porque as colheitas foram destruídas, mas distribuem também outros bens, como cobertores”. O ECHO atribuiu dois milhões de euros para o Vietname e Cambodja, aos quais se somam mais dois milhões destinados às vítimas do Ketsana nas Filipinas. Entretanto, ajuda também as pessoas afectadas pelo sismo em Sumatra e pelo tsunami nas ilhas do Pacífico. No total, em 2008, a União Europeia disponibilizou 937 milhões de euros em ajuda humanitária. Desde a criação, o ECHO investe também em programas de prevenção. A experiência mostra que iniciativas simples, como a criação de sistemas de alerta ou planos de evacuação, salvam vidas e ajudam na reconstrução. Calcula-se que a preparação do Vietname minimizou o impacto do furacão no país. Por exemplo, antes da tempestade, como medida preventiva, foram evacuadas 370 mil pessoas das zonas costeiras.