Última hora

Última hora

EUA: Comité de Finanças do Senado vota reforma sistema de saúde

Em leitura:

EUA: Comité de Finanças do Senado vota reforma sistema de saúde

Tamanho do texto Aa Aa

A Casa Branca desvalorizou um estudo publicado no fim-de-semana que revela que a reforma do sistema de saúde pode fazer crescer os custos das famílias.

O relatório da Pricewater House Coopers, encomendado pelo sector das seguradoras, afirma que os prémios anuais dos agregados podem aumentar pelo menos 4 mil dólares até 2019. Mais uma jogada das seguradoras contra a mais importante medida interna proposta por Obama, explica Julian Zelizer, um analista da Universidade de Princeton. “O que estão a tentar fazer é negociar, ao ameaçarem retirar-se das negociações. A questão é saber se conseguirão algumas concessões em resultado dos últimos anúncios e deste relatório”. O estudo aparece dias antes da votação da lei da reforma de saúde no Comité de Finanças do Senado, prevista para hoje. Um passo essencial para Barack Obama, antes do documento chegar à aprovação do Congresso. “Se se acrescentar muita coisa, os custos sobem e o papel do governo aumenta. Creio que a Casa Branca está nervosa por poder perder votos”, explica o analista. A reforma de saúde, a primeira em meio século, divide os Estados Unidos, onde mais de 47 milhões de pessoas não têm seguro médico. Conservadores dizem que a opção pública impõe um sistema socialista. Progressistas defendem que é a única forma de melhorar a prestação das seguradoras privadas.