Última hora

Última hora

França: Central Nuclear levou três meses a comunicar incidente

Em leitura:

França: Central Nuclear levou três meses a comunicar incidente

Tamanho do texto Aa Aa

Os activistas anti-nuclear lançam o alerta em França após um incidente que não foi comunicado às autoridades.

A Autoridade da Segurança Nuclear só foi informada a 6 de Outubro sobre um incidente de nível 2 – numa escala que vai até sete- que teve lugar em Junho. Uma inspecção recente revelou a existência de pelo menos vinte e dois quilos de plutónio em vez dos oito declarados pela Areva, a empresa que gere a central. A directora de comunicação da Greenpeace em França afirma que “a legislação internacional obriga cada Estado a contabilizar cada grama de plutónio, o que mostra que a Areva é incapaz de gerir uma das matérias mais perigosas do mundo”. O plutónio é altamente radioactivo e tóxico. Uma miligrama é suficiente para provocar um cancro. A Segurança nuclear afirma que o incidente em questão não provocou danos. Um responsável da inspecção afirmou que “o plutónio estava espalhado em diferentes unidades no interior da instalação, não estava concentrado no mesmo local, o que constituiu uma margem que permitiu evitar um acidente”. As associações anti-nuclear acusam os grandes partidos franceses de defenderem de forma cega o nuclear. Situada no sudeste da França, a central estava a ser desmantelada desde 2003 por razões de segurança.