Última hora

Última hora

Indústria automóvel europeia contesta acordo de Livre Comércio com Seul

Em leitura:

Indústria automóvel europeia contesta acordo de Livre Comércio com Seul

Tamanho do texto Aa Aa

A indústria automóvel europeia declarou guerra ao polémico acordo de Livre Comércio assinado esta quinta-feira entre a União Europeia e a Coreia do Sul, que vai abolir quase todas as taxas alfandegárias.

O sector automóvel denuncia a concorrência desleal a que ficará sujeito, tendo em conta as ajudas às exportações dadas por Seul. Lança, por isso, um apelo ao Parlamento Europeu e aos Estados membros para que não ratifiquem o documento assinado pela comissária europeia para o Comércio Internacional, Catherine Ashton, e o ministro sul-coreano do Comércio, Kim Jong-hoon. Este é o mais importante acordo negociado por Bruxelas com um país terceiro e, se for ratificado, entrará em vigor no segundo semestre de 2010. A comissária europeia do Comércio Internacional garante ter incluído cláusulas para salvaguardar o sector automóvel. Mas o documento inclui também os sectores farmacêutico, electrónico, dos serviços, telecomunicações, ambiente e finanças. Em 2008, o comércio entre a União Europeia e a Coreia do Sul ascendeu a 65 mil milhões de euros. Com o acordo poderá haver um aumento de 20%, segundo cálculos de Peter Mandelson, ministro britânico do Comércio.