Última hora

Última hora

Ahmadinejad pede acção a Islamabad

Em leitura:

Ahmadinejad pede acção a Islamabad

Tamanho do texto Aa Aa

É um dos ataques mais mortíferos levados a cabo contra a força de elite do regime iraniano.

Cerca de meia centena de pessoas morreram, 11 eram comandantes dos Guardas da Revolução. O atentado suicida foi reivindicado pelo grupo sunita “soldados de Deus.” Um grupo associado aos Talibã do vizinho Paquistão. O chefe de Estado iraniano pede ao governo paquistanês para que detenha os autores do atentado o quanto antes. Mahmoud Ahmadinejad fala, ainda, do envolvimento de elementos das forças da ordem no ataque suicida. O atentado ocorreu no sudeste do país perto da fronteira com o Paquistão, uma zona de violência sectária. O ataque deu-se numa altura em que os Guardas da Revolução participavam num encontro com os chefes tribais da província. Um analista defende que o ataque é um aviso deixado aos Guardas da Revolução para não executarem o irmão do líder dos “soldados de Deus,” condenado à morte pelo regime. Acrescentando, que a confirmar-se a autoria do atentado é a primeira vez que é levado a cabo desta forma. Mas este não é o primeiro ataque do grupo sunita contra a força de elite do regime iraniano. Em 2007, um carro armadilhado provocou a morte a 11 membros da Guarda da Revolução.