Última hora

Última hora

PE recompensa tenacidade da ONG russa Memorial com o Prémio Sakharov 2009

Em leitura:

PE recompensa tenacidade da ONG russa Memorial com o Prémio Sakharov 2009

Tamanho do texto Aa Aa

Vinte anos de luta pelos direitos humanos recompensados com o prémio Sakharov 2009. A ONG russa Memorial foi galardoada pelo Parlamento Europeu (PE).

A organização não-governamental, criada em 1989 pelo próprio Andrei Sakharov, que dá o nome ao prémio, luta para dar a conhecer a repressão política na União Soviética e defender os direitos humanos e políticos no antigo território soviético. Este prémio acaba por ser uma mensagem para a Rússia. Jerzy Buzek, presidente do Parlamento Europeu, afirma que “nos últimos 20 anos houve muitas mudanças na Europa central e de Leste, mas em muitos dos países de Leste as mudanças não são tão grandes como se esperava e é preciso melhorar”. Mas o prémio tem sabor amargo. A ONG Memorial já perdeu alguns dos seus membros, entre eles, Natalia Estemirova. A activista foi raptada a 15 de Julho quando investigava crimes cometidos na Chechénia. Foi encontrada assassinada dias depois na Inguchétia. Desde então a ONG suspendeu o trabalho na Chechénia. Orgulho e amargura na reacção dos vencedores, habituados às buscas policiais aos seus escritórios e às condenações judiciais, a última das quais por ataque à honra de Ramzan Kadirov, presidente checheno. Oleg Orlov, que partilha a liderança da ONG com Lyudmila Alexeyeva e Serguei Kovalev, garante que “é agradável receber esta recompensa, mas não melhora a segurança individual e têm outras preocupações. Relembra também que deveria ser Natacha a receber o prémio, “mas ela não vai recebê-lo, ela foi assassinada”. A organização quer partilhar o prémio com outros activistas dos direitos humanos na Rússia, pois reconhece que o país está no mau caminho. Mensagem que poderá repetir na sessão solene de entrega do galardão no Parlamento Europeu a 16 de Dezembro.