Última hora

Última hora

Taser admite perigo das pistolas eléctricas

Em leitura:

Taser admite perigo das pistolas eléctricas

Tamanho do texto Aa Aa

A fabricante de pistolas taser reconhece pela primeira vez que a utilização daquela arma eléctrica implica um risco cardíaco para o alvo.

O fabricante americano aconselha por isso aos polícias que evitem os tiros sobre o peito e o tórax de eventuais suspeitos. Um tiro de taser permite mobilizar um indivíduo mediante uma descarga eléctrica que provoca uma paralisia neuromuscular. A arma é utilizada por mais de 14.000 agrupamentos de forças policiais em países como Os Estados Unidos, a Grã-Bretanha ou a França. Apesar de ser apresentada como uma pistola alternativa e menos perigosa que as tradicionais armas de fogo a taser não deixa de fazer vítimas. Segundo a Amnistia Internacional, entre 2001 e 2008, a taser provocou a morte a 351 pessoas que não resistiram à potente descarga eléctrica de 50.000 volts. Ainda segundo a organização, 90% das vítimas mortais não estava armada pelo que a utilização da taser não se justificava.