Última hora

Última hora

Ex-ministro francês condenado por tráfico de armas para Angola

Em leitura:

Ex-ministro francês condenado por tráfico de armas para Angola

Tamanho do texto Aa Aa

Chegou ao fim o caso Angolagate na barra dos tribunais. Mas o processo parece continuar fora da sala de audiências. Charles Pasqua foi condenado a um ano de prisão efectiva por um tribunal de Paris, por envolvimento no tráfico de armas para Angola, nos anos 90.

Depois da sentença, o antigo ministro francês do Interior abriu a caixa de Pandora: “- Creio que há coisas que devem ser clarificadas. O presidente da república estava ao corrente do que se passava. O primeiro-ministro também sabia. A maior parte dos ministros sabia, menos eu, que não tinha competências nesse domínio. É altura de tirar este assunto a limpo.” Pierre Falcone e o negociante israelita de origem russa Arcadi Gaydamac foram condenados a penas de seis anos, por terem intermediado a venda de material militar russo a Angola, negócio que lhes valeu 270 milhões de euros em comissões. Jean-Christophe Mitterrand foi considerado culpado por cumplicidade de comércio ilícito de armas, com a qual ganhou quase dois milhões de euros. Foi condenado a dois anos de pena suspensa. O filho do ex-presidente François Mitterrand considera que lhe foi feita uma caça às bruxas, por ser filho do ex-chefe de Estado. A venda de armas ao MPLA ocorreu entre 1993 e 1998, tendo sido decisiva para a derrota da UNITA na guerra civil angolana. O mega-processo, que durou um ano, envolveu 42 arguidos. Nenhum dos trinta angolanos citados durante a investigação compareceu perante a justiça francesa. Entre eles está o presidente angolano José Eduardo dos Santos.