Última hora

Última hora

Principais acusados no caso Angolagate condenados a seis anos de prisão

Em leitura:

Principais acusados no caso Angolagate condenados a seis anos de prisão

Tamanho do texto Aa Aa

Chegou ao fim o mega processo Angolagate.

Um tribunal de Paris condenou hoje dois dos principais arguidos do caso, Pierre Falcone e Arcadi Gaydamak, a seis anos de prisão efectiva pela participação no tráfico de armas para Angola. Charles Pasqua, o ex-ministro do Interior foi sentenciado a três anos de prisão, com dois de pena suspensa. Pierre Falcone e o negociante israelita de origem russa Arcadi Gaydamac foram condenados por intermediarem a venda de material militar russo a Angola, negócio que lhes valeu 270 milhões de euros em comissões. Jean Christophe Mitterand foi condenado a dois anos de prisão com pena suspensa. O filho do ex-presidente francês recebeu quase dois milhões de euros por intermediar o encontro entre angolanos e Pierre Falcone. A venda de armas ao MPLA ocorreu entre 1993 e 1998, tendo sido decisiva para a derrota da UNITA, na guerra civil. O mega processo, que durou um ano, envolveu 42 arguidos. Nenhum dos 30 angolanos citados durante a investigação compareceu perante a justiça francesa. Entre eles está o presidente angolano, José Eduardo dos Santos.