Última hora

Última hora

Internet mais global - domínio em línguas mais "exóticas"

Em leitura:

Internet mais global - domínio em línguas mais "exóticas"

Tamanho do texto Aa Aa

Há quem lhe chame a segunda revolução da internet, outros preferem defini-la como um aumento dos tentáculos da rede.

Espera-se que esta sexta-feira um acordo histórico seja assinado, na Coreia do Sul, entre os reguladores da internet, e que no próximo ano passe a ser possível procurar domínios na internet directamente em árabe, chinês, farsi, grego ou russo, entre várias outras línguas que utilizem alfabetos não latinos ou outras formas de escrita. Quem modera esta negociação é o presidente da ICANN – órgão não-governamental que regula a atribuição de nomes e domínios na internet). De acordo com Rod Beckstrom: “Esta é mais uma mudança muito importante, diria paulatina, talvez, mas grande no domínio dos nomes. É a maior mudança da rede dos últimos 10 a 15 anos”. Os nomes dos domínios são essenciais para ajudar os computadores na busca dos sítios e do correio electrónico. Por isso, há quem tema um efeito inverso, como um internauta coreano: “A utilização de línguas como a coreana podem dificultar a busca feita por quem não escreva a língua, há o risco de as páginas apareceram apenas em coreano, o que pode causar problemas na comunicação”. Mas os defensores deste acordo sublinham que a possibilidade de a grafia poder ser feita em outras línguas que não recorram ao alfabeto latino vai, entre outras coisas, abrir as portas da internet a milhões de novos utilizadores.