Última hora

Última hora

Medvedev apela aos russos para não justificarem a repressão de Estaline

Em leitura:

Medvedev apela aos russos para não justificarem a repressão de Estaline

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente russo apela ao país para não justificar os actos de repressão exercidos pelo regime de Estaline.

As palavras de Dimitri Medvedev marcam uma mudança de tom face a Vladimir Putin. É a primeira vez que um chefe de Estado condena de forma tão directa o legado soviético. A mensagem foi divulgada num vídeo publicado no blog do presidente: “O dia 30 de Outubro comemora o trágico destino de milhões de pessoas executadas sem julgamento nem processo…essas pessoas foram enviadas para campos de concentração e privadas de direitos só porque escolheram a profissão errada ou devido às suas origens sociais”, declarou Medvedev. O governo russo tem sido acusado de querer glorificar o passado e de interferir no ensino da história. Em 2003, as autoridades excluíram do programa escolar textos que criticam Estaline. Um estudo sociológico realizado há dois anos revela que 90% dos jovens não conseguem citar nomes de figuras importantes que tenham sido reprimidas pelo regime soviético. Um estudante afirma que “Estaline não foi um herói mas não era má pessoa”. Uma aluna considera que “o tempo passa e as pessoas esquecem o passado”. Mas para muitos a memória permanece viva. É o caso de Anna Yakovlevna. O marido foi assassinado pelo regime quando tinha apenas 28 anos. A neta da vítima considera que “a época de Estaline nunca deve ser idealizada”, “foi um tempo de repressão, medo e perseguição”. Há duas semanas, o neto do ditador perdeu o processo contra o jornal Novaya Gazeta que tinha sido acusado de difamar Estaline.