Última hora

Última hora

Polícia de choque moscovita detém 50 activistas

Em leitura:

Polícia de choque moscovita detém 50 activistas

Tamanho do texto Aa Aa

50 pessoas foram detidas, este sábado, pela polícia de choque russa, em Moscovo.

Os detidos tentavam manifestar-se na Praça Triunfalni, no centro da capital russa, para exigir o respeito pela Constituição da Rússia, nomeadamente no que diz respeito ao direito de manifestar. A polícia impediu a chegada à praça de Liudmila Alexeeva, veterana da defesa dos direitos humanos e dirigente da organização Grupo de Helsínquia. Liudmila Alexeeva referiu que “a ideia de organizar manifestações no último dia de cada mês às seis da tarde na Praça Triunfalni é uma tentativa de restabelecer a tradição dos encontros pacíficos entre cidadãos pela defesa da Constituição russa e dos seus artigos.” O protesto foi convocado pelo movimento Outra Rússia e por vários outros grupos da oposição extraparlamentar e proibido pelas autoridades moscovitas. A polícia de choque começou a deter os activistas logo à saída do metropolitano, quando os manifestantes tentaram derrubar as barreiras metálicas que impediam o acesso à praça. Entre os detidos encontram-se os líderes da oposição Eduard Limonov, dirigente do Partido Nacional Bolchevique, e Marina Litvinovitch, activista do movimento “Outra Rússia”.