Última hora

Última hora

O Dia em que o Muro caiu

Em leitura:

O Dia em que o Muro caiu

Tamanho do texto Aa Aa

9:20 da noite: a barreira do posto de fronteira Bornholmer Strasse foi levantada.

Durante uma conferência de imprensa difundida em directo pela televisão, no dia 9 de Novembro de 1989, ao fim da tarde, o responsável da Imprensa no Comité Central do Partido Socialista Unificado da Alemanha, Günter Schabowski, de um modo um pouco confuso, que havia uma nova lei para quem desejasse sair da RDA e para a RFA. Umas horas depois, uma multidão tomou de assalto o posto fronteiriço até então reservado aos berlinenses do ocidente que visitavam os familiares na Alemanha comunista. Pela primeira vez, os cidadãos do Leste passaram sem problemas. Há 20 anos, nesse dia histórico, passaram mais de 20 mil pessoas, em menos de uma hora, pela ponte de Bösebrücke, transpuseram a fronteira sem qualquer controlo de identidade. Quando a barreira foi levantada e os polícias, ainda carimbavam os passaportes de centenas de alemães do leste que, sem saber ai que perdiam o direito de regresso. Mas com aquele êxodo em massa era impossível continuar. Maria Shüler foi uma das protagonistas da Hstória: “Vivi nessa zona muito tempo, durante 20 anos, via a ponte mas nunca tinha podido atravessá-la. Até que, nesse dia, pude ir até lá. Fiquei por ali, bebemos champanhe e chorámos” Nos dias seguintes, milhares de berlinenses do leste passaram a fronteira sem medo, como em Bernauer Strasse, onde uma abertura foi improvisada. Ao atabalhoado anúncio – por insistência de um jornalista – desse porta-voz do Politburo, a dizer que era possível viajar em liberdade a partir daquele momento…o muro de Berlim caiu. Todos queriam passar para o “outro lado”. O responsável pela insistência que abriu a primeira brecha do Muro, Riccardo Ehrman, afirma que nem nos momentos mais fantasistas da vida pôde imaginar as consequências de uma tal pergunta. (Qando?) A resposta fez a a terra tremer porque significava que todo o império comunista ia ruir”. Berlim foi palco de cenas de alegria como em Kud’dam, a grande avenida de Berlim Ocidental onde os berlinenses das Alemanhas paralelas festejaram. Apesar do receio que os de Leste podem ter sentido: “As pessoas de Osloer Strasse, do lado ocidental, caminharam para mim com champanhe e bebemos juntos. Por outro lado, era claro que ao dar este passo, o mundo em que vivemos, e sem fazer julgamentos, tinha terminado.” Um ano depois da queda do Muro de Berlim, a Alemanha reunificou-se. O Leste alemão foi integrado na CEE em Outubro de 1990.

O Muro de Berlim: pt.euronews.net/1989-2009