Última hora

Última hora

Crucifixos nas escolas italianas têm os dias contados

Em leitura:

Crucifixos nas escolas italianas têm os dias contados

Tamanho do texto Aa Aa

Imagens como estas vão ser cada vez mais raras nas escolas italianas.

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem defende a remoção dos crucifixos das salas de aulas por considerar que violam a liberdade religiosa. A sentença do Tribunal de Estrasburgo surge na sequência de uma queixa apresentada há vários anos pela mãe de duas crianças. Uma jovem considera que a presença do símbolo religioso não é negativa, ainda que não seja crente e lembra que a Itália é um país católico e cristão. Para este italiano “negar o direito de pendurar os crucifixos é tão injusto como obrigar a retirá-los.” O colectivo de juízes condenou a Itália ao pagamento de cinco mil euros por danos morais. O governo já fez saber que vai recorrer da sentença. O ministro italiano para os Assuntos Europeus afirma que a decisão da justiça “foi recebida de forma negativa,” adiantando, que “negar o crucifixo é negar as raízes cristãs da Europa e de Itália.” O Vaticano também já reagiu. Mostra-se chocado e defende que excluir o símbolo religioso da educação é “um erro.”