Última hora

Última hora

Famílias dos tripulantes do Alakrana pressionam Governo espanhol

Em leitura:

Famílias dos tripulantes do Alakrana pressionam Governo espanhol

Famílias dos tripulantes do Alakrana pressionam Governo espanhol
Tamanho do texto Aa Aa

As famílias dos pescadores espanhóis detidos há mais de um mês por piratas somalis pressionam o Governo de Madrid.

Os familiares exigem negociações eficazes, uma libertação rápida e apelam às facções partidárias que se unam em torno da causa. A mulher de um dos tripulantes do atuneiro Alakrana disse que “precisamos que toda a gente esteja unida, que os políticos não se defrontem por causa deste assunto, que não tentem aproveitar-se e que se mobilizem para que os pescadores voltem imediatamente”. Milhares de pessoas, entre as quais várias personalidades políticas bascas, manifestaram-se este sábado no porto de Bermeo, no país Basco, para exigir a libertação dos pescadores. Por seu lado, o Governo continua a querer negociar. “O vice-presidente do Governo sublinhou que devemos preservar a via diplomática porque é a melhor maneira de encontrar uma solução”, disse Miguel Angel Moratinos, ministro espanhol dos Negócios Estrangeiros. O ministro anunciou ainda que o embaixador espanhol no Quénia vai encontrar-se este domingo com o primeiro-ministro somali para abordar o assunto. Antonio Costas, contra mestre do Alakrana e irmão de um dos tripulantes teme que o pior aconteça, mas espera que as autoridades façam o seu dever. “Espero que eles façam o que devem fazer. Mas de qualquer maneira, penso que a tripulação vai acabar mal. Mesmo que eles voltem vão ficar traumatizados”, declarou. Os piratas somalis ameaçam começar a matar em grupos de três, todos os 36 tripulantes do atuneiro Alakrana, se as autoridades espanholas não libertarem dois companheiros detidos no dia do assalto à embarcação. O Alakrana foi capturado pelos piratas no início de Outubro ao largo da Somália.