Última hora

Última hora

Reciclagem de lâmpadas

Em leitura:

Reciclagem de lâmpadas

Tamanho do texto Aa Aa

As lâmpadas de filamentos têm os dias contados. Em Junho a França retirou do mercado as lâmpadas incandescentes de mais de 100 W e até 2012 a Europa utilizará únicamente lâmpadas de baixo consumo. Esta medida permitirá economizar o equivalente à produção de dez centrais eléctricas de 500 megawatts e reduzir as emissões de CO2 em 15 milhões de toneladas por ano. Em França está a ser desenvolvida uma linha de reciclagem para recuperar os recursos naturais e diminuir o volume de detritos.

“Em França estamos nas quatro mil toneladas de lâmpadas recicladas o ano passado, o que representa mais ou menos 1/3 do número de lâmpadas que chegaram ao fim de vida. Em dois anos de actividade, 1/3 das lâmpadas foram recicladas na frabrico de novos produtos.” As lâmpadas de baixo consumo são mais caras que as lâmpadas tradicionais, mas podem ajudar uma família a poupar até cerca de 50 euros por ano. “É suposto recuperar o investimento na factura da electricidade. É um investimento rasoável.” O que fazer com as lâmpadas de baixo consumo usadas? Os distribuidores têm a obrigação de as recolher, mas em caso de dúvida pode ser encontrada informação na Internet sobre os pontos de recolha. O objectivo da Recylum – o organismo encarregado da eliminação das lâmpadas usadas em França – é chegar até 2016 com a reciclagem de 65% das lâmpadas em fim de vida. “Neste ponto de recolha, temos caixas de cartão que permitem aos clientes depositar as lâmpadas de baixo consumo, mas como pode ver, o reflexo é colocarem todo o tipo de lâmpadas.” Só as lâmpadas com este símbolo podem ser recicladas, mas nem todos os utentes entendem isso. “Eu não faço a triagem, compro lâmpadas normais e é tudo. Sei que está mal, mas deito-as ao lixo.” Na realidade as lâmpadas de filamentos, como as de halogéneo, devem ser colocadas no lixo. Sómente as lâmpadas fluorescentes, os LED e as lâmpadas técnicas podem ser recicladas em locais como este localizado perto da cidade de Troyes. “Nestas instalações tratamos 1500 toneladas por ano. Cerca de 20% de lâmpadas e 80% de lâmpadas fluorescentes. A taxa de reciclagem é de 98%, dividida por cerca de 93% de vidro, três a cinco por cento de metais e dois por centro de pó.” O vidro das lâmpadas fluorescentes é recuperado para fabricar novas lâmpadas, o das outras lâmpadas pode ser transformado em lã de vidro. Da parte electrónica, recupera-se paládio, ródio e também prata e mercúrio. “É uma pena, quando não se reciclam as lâmpadas de baixo consumo. Os materiais que as compõem podem ser utilizados para fabricar novos produtos, e existe o risco da poluição, porque elas contêm quantidades muito baixas de substâncias perigosas. “ Em França, a partir do fim do ano, as lâmpadas de filamentos de 75 watts, também deixaraão de estar disponíveis no mercado.