Última hora

Última hora

A queda do Muro, 20 anos depois

Em leitura:

A queda do Muro, 20 anos depois

Tamanho do texto Aa Aa

Um apertado perímetro de segurança decora a Porta de Brandeburgo, na capital alemã. A polícia quer evitar incidentes no aniversário da queda do Muro de Berlim e protege um quilómetro e meio de mil dominós gigantes que percorrem o antigo traçado do muro de Berlim.

As “pedras” vão cair ao final do dia, perante o olhar de líderes mundiais do passado e do presente e milhares de turistas. 20 anos depois do evento que simbolizou o fim formal da Guerra Fria, as memórias continuam presentes. Monika Polakowski vivia na parte ocidental e recorda que era simplesmente muito difícil visitar a família do outro lado. “Era muito embaraçoso ter de passar com um documento de entrada. Tinha um tio e um primo no lado oriental.” Stephanie Meine conta que na noite de 9 de Novembro de 1989, houve uma reunião espontânea e efusiva da família. “Foi muito especial.” Mas uma sondagem publicada num diário alemão, revela que uma pessoa em cada oito gostaria de ver reconstruído o muro. Dados que não estragam a festa de aniversário. Entre os convidados, estão os dirigentes dos 27, incluindo José Sócrates, e líderes dos quatro países que administraram a Berlim do pós-guerra.