Última hora

Última hora

Prisão perpétua para alemão que matou mulher egípicia

Em leitura:

Prisão perpétua para alemão que matou mulher egípicia

Tamanho do texto Aa Aa

O veredicto caiu. Prisão perpétua para o homem que matou uma muçulmana grávida de três meses em pleno tribunal.

Alex Wiens, um alemão de origem russa, com 28 anos, apunhalou até à morte Marwa Sherbini, uma mulher egípcia. Ambos compareciam numa audiência em Julho, na cidade alemã de Dresden. O homem pedia recurso da sentença que o condenara a uma multa de 780 euros por ter chamado a Sherbini “terrorista” e “islamista”, num parque infantil, pelo facto dela usar véu. Depois de ter apunhalado 16 vezes a mulher, ainda tentou matar o marido depois de entrado na sala de audiência com uma faca de cozinha, manifestamente devido a uma falha no sistema de segurança do Tribunal. O ataque desencadeou uma onda de protestos no mundo muçulmano, que se refere ao caso como um exemplo da intolerância alemã contra o Islão. No Cairo um homem comenta: “ A prisão perpétua é como a pena de morte, é uma setença justa que satisfaz o mundo muçulmano e o povo árabe”. Líderes muçulmanos criticaram a Alemanha pela forma como o caso foi conduzido caso, alegando que as autoridades do país demoraram a condenar o crime.